domingo, 6 de novembro de 2016

10ª FeliS: Feira do Livro de São Luís tem como tema "Ler a cidade e suas memórias"

   
Exposição "Tempo de Almanaque" na Galeria Trapiche
    A 10ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) inicia nesta segunda-feira (7) com uma programação digna da celebração de uma década de fomento à leitura, maior acesso ao livro, formação de novos leitores e incentivo às cadeias produtivas em torno do livro, da mediação da leitura e da economia criativa do livro. Este ano, a programação traz novidades, como a participação dos museus pela primeira vez na história da FeliS.
    A coordenadora da 10ª FeliS, Rita Oliveira, explicou que esta inovação está diretamente relacionada ao tema deste ano, "Ler a cidade e suas memórias". "Os museus são responsáveis por preservar a memória da cidade e das pessoas. Assim como os livros, são lugares que estimulam o aprendizado, pois apesar de contar histórias que já aconteceram, eles nos fazem pensar o presente e refletir sobre o nosso tempo. Desta maneira, teremos programações todos os dias em diversos museus da cidade, é a primeira vez que isso acontece em uma Feira do Livro de São Luís".
    A Galeria Trapiche foi o primeiro equipamento a receber programação da 10ª FeliS com a exposição "Tempo de Almanaque", promovida pelo Departamento Nacional do Sesc. A mostra reúne uma coleção de almanaques da década de 1930, em que as publicações influenciavam os costumes da época e foram responsáveis por popularizar a ciência nos lares brasileiros como prática de lazer para ser ensinada e repetida entre a família. Fica aberta ao público até o dia 16 de dezembro, das 9h às 19h, exceto fins de semana e feriados. Visitas mediadas podem ser agendadas pelo telefone 3216-3830 ou pelo e-mail galeriadeartesescma@gmail.com.
    Na Casa de Cultura Josué Montello, localizada na Rua das Hortas, 508 - Centro, estão à disposição do público duas exposições que podem ser visitadas de segunda à sexta, das 13h às 18h. São elas: "40 anos de publicação da obra Os Tambores de São Luís" e "A eterna São Luís de Josué Montello". As mostras também possuem visitas guiadas, palestras e exibição de vídeos.
    Na Casa do Maranhão - na Rua do Trapiche, s/n, Praia Grande -, recebe a exposição "São Luís, 400 anos: reescrevendo a cidade e sua história", aberta ao público de terça a sábado das 9h às 18h e aos domingos das 9h às 12h. Nos dias 8 e 10 terá "O pé de livro", intervenção que fez sucesso na última edição da Feira. Já na quarta (9) e sexta (11) o público poderá conferir a contação da história "As aventuras de Pai Francisco e Mãe Catirina: o boi mimoso". E no dia 11 às 16h acontece a Roda de Conversa "Metodologias e práticas de educação patrimonial do museu ao cotidiano", com a arte-educadora Liz Renata Dias, da Rede Educadora de Museus.
HOMENAGEM
    O Museu dos Capuchinhos/Memorial dos Correios faz homenagem à professora Lourdinha Lacroix com Roda de Conversa agendada para o dia 10 às 15h sobre a vida e obra de Maria de Lourdes Lauande Lacroix e Intervenção Artística de pintura viva com Joshua Pessoa. O Museu fica aberto para visitação das 14h às 17h, localizado na Praça João Lisboa, 350 - Centro.
    No Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia do Maranhão acontece a Exposição Etnográfica com visitas guiadas das 10h às 18h de segunda a sexta e das 14h às 18h aos sábados. No dia 11 às 15h terá a palestra ''A etnologia (quase) esquecida de Gonçalves Dias'' com Deusdedit Carneiro Leite (Arqueólogo), João Damasceno Figueiredo (Antropólogo) e Paulo Melo Sousa (Jornalista). No local também acontece as performances "Contos da Floresta" com Urias Oliveira. O Centro de Pesquisa fica localizado na Rua do Giz, 59 - Praia Grande.
    A Casa de Cultura Huguenote Daniel de La Touche, localizada no Beco Catarina Mina, está com uma grande exposição "Poemas de Gonçalves Dias'', em alusão ao patrono da 10ª FeliS. No espaço também serão realizadas intervenções inspiradas no poeta, realizadas pelo artista Rafael Costa. No dia 12 de novembro às 15h terá a Oficina de Origami e Desenho, e às 17h, acontecerá um sarau poético em homenagem a Gonçalves Dias. As visitas podem ser feitas de segunda a sábado, das 13h às 18h.
O Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho e a Biblioteca Roldão Lima, estão abertos ao público das 9h às 18h de terça a domingo, localizados na Rua do Giz, 221 - Praia Grande. No local acontece contação de história "Cofo de Saber".
    A Casa de Nhozinho - Rua Portugal, 18 - Praia Grande - pode ser visitada das 9h às 18h (segunda a sexta) e das 9h às 13h (sábado e domingo). O módulo expositivo é em homenagem ao poeta Ferreira Gullar.
    E no Palácio dos Leões, localizado na Avenida Pedro II, s/n - Praia Grande, tem a exposição de gravuras da coleção do teatrólogo Arthur Azevedo. O público pode visitar das 9h às 12h de terça a domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário