quarta-feira, 23 de agosto de 2017

MANCHETES DO DIA

MARANHÃO
 - 13,21% a mais na tarifa de energia


REGIÃO

Privatização da Eltrobas gera expectativa alta
Desembargador afastado receberá R$ 101 mil de auxílio-moradia



NACIONAL


GDF parcela salários. Sindicato vai à Justiça

Eletrobras tem alta de 49% após incio da privatização


Governo planeja limites para novos sócios da Eletrobras


 Três mil soldados da PPs são deslocados para as ruas

 STF torna Collor réu na Lava-Jato por corrupção

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Iphan inspeciona objetos de 'magia negra'

Equipes do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estiveram nesta segunda-feira,21, no Museu da Polícia Civil, no Centro do Rio de Janeiro, para inspecionar imagens, amuletos e roupas cerimoniais de um conjunto conhecido como “magia negra”. 

Os artigos foram apreendidos pela polícia provavelmente no início do século XX, com base no Código Penal de 1890, editado pouco depois da Proclamação da República (1889). De acordo com o código, o material era prova de crimes, já que a legislação da época proibia a “prática do espiritismo, da magia e seus sortilégios’.’

Os cerca de 200 objetos, tombados em 1938, fazem parte do acervo técnico do museu. Eles estão no centro de campanha “Libertem nosso sagrado”, criada no Facebook, e que visa a dar visibilidade a essas peças e transferi-las para outro local. Ainda não há acordo com a Polícia Civil. O assunto será tema de uma audiência pública convocada pelo deputado Flávio Serafini (PSOL), que acompanhou os técnicos do Iphan, junto da mãe de santo Meninazinha de Oxum e do deputado Marcelo Freixo (PSOL).

— O Iphan fará uma avaliação do estado do acervo. Na visita, abrimos apenas uma das 50 caixas porque essas peças exigem cuidado no manuseio. O objetivo agora é buscar apoio de alguma instituição que pesquise a origem dessas peças e se encarregue da restauração — disse Serafini.


Maranhão deixa de divulgar números sobre violência no Estado

    Sem divulgar dados relativos à redução do número de casos de violência registrados no estado, o secretário Jefferson Portela perdeu oportunidade de divulgar avanços na área do governo do Maranhão. Levantamento divulgado pelo jornal O Estado de São Paulo feito junto às secretarias de estado de Segurança Pública destaca  Sergipe. Jefferson Portela tem se desdobrado nas atividades da pasta e agenda de campanha pelo interior do estado. Ele é candidato a deputado federal pelo PCdoB nas eleições de 2018.

    Na comparação com do primeiro semestre deste ano com 2016, Sergipe reduziu em 12,54% o número de homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios (roubos seguidos de morte). Foi que mais reduziu na região e sexto no país.  Ainda no Nordeste conseguiram reduzir o número de homicídios Paraíba (-9,63), Piauí (-4,56%) e Bahia (-2,41). 

    Na outra ponta, do aumento descontrolado da violência, está Pernambuco, com taxa de elevação de 37,88%, seguido por Ceará (+31,90%), Rio Grande do Norte (+26,27%) e Alagoas (+4,31%). Em Sergipe os números estão em queda desde 2015, segundo ano de mandato do governador Jackson Barreto (PMDB). 

    Barreto considera investimentos realizados na área, como o sistema de radiocomunicação digital da SSP, como fator determinante para bons resultados. O número de policiais convocados pelo governo também é apontado como ferramenta no combate ao crime. Mas, um detalhe, a Força Nacional está no estado e atuará até dezembro no Sergipe.

MANCHETES DO DIA

MARANHÃO
 - Secretário dará explicações à AL




REGIÃO

Ministro prpõe privatizar Eletrobras, inclusiva a Chesf
Tasso e Aécio brigam pelo comando do PSDB



NACIONAL


Máfia teria fraudado todos os concursos no DF desde 2013

Maia e Gilmar admitem volta da doação eleitoral de empresas


Governo propõe a privatização da Eletrobras


 Eletrobras deve ser vendida

 Câmara quer cheque em branco para gasto público de campanha

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Vereador apresenta projeto de música na praça

   
O vereador Osmar Filho
O vereador de São Luís, Osmar Filho (PDT) encaminhou projeto de lei à mesa diretora da Câmara para criação do programa "Música na Praça". Segundo o vereador o objetivo é democratizar o acesso às manifestações artísticas e valorizar a produção musical, priorizando os artistas locais.

     "A ideia principal é que o projeto ocorra de forma itinerande nos bairros de São Luís,  com apresentações musicais em espaços públicos. O projeto será executado pela banda de música da Gurda Municipal da Scretaria Municipal de Segurança com Cidadania.