quarta-feira, 17 de maio de 2017

STJ nega habeas corpus a fundador da Seita Mundial



     
    O Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou pedido de habeas corpus de Donato Brandão Costa, 47 ano. Donato foi preso em 5 de maio por policiais da 105ª DP (Petrópois), no Rio de Janeiro. Ele foi preso em São Luís na década de 90 do século passado acusado de induzir jovens a automutilação. A castração do jovnes fazia parte de um ritual de uma seita Mundial desfarçada em entidade filantrópica.

    Os advogados de Donato alegam uma série de nulidades cometidas na ação penal, como por exemplo, tortura de testemunhas e interrogatório de menores sem curador, incompetência da Justiça estadual e outras.
    Segundo o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, os questionamento se referem a ação penal iniciada em 1999 que resultou em condenação em 2004.



Sítio encontrado pela Polícia Civil na BR 040 Foto: Divulgação/Polícia Civil

    Pelos crimes, Donato Costa foi condenado a 37 anos e oito meses de prisão por lesão corporal gravíssima, estlionato e lavagem de dinheiro.  Em 2013, Donato e seus seguidores se mudaram para Petrópolis. Ele também teria condenações na Justiça de São Paulo, segundo a Polícia Civil. No início deste mês, outros dez integrates do grupo também foram detidos. Todos os suspeitos foram encontrados em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio. A operação ganhou o nome de Manadala. O voto do relator foi seguido pelos demais membros da Quinta turma do STJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário