terça-feira, 24 de janeiro de 2017

MEMÓRIA DO CARNAVAL - Samba - Enredo: Dias de sonhos e festas, de César Teixeira

Dias de sonhos e festas
Samba enredo da Escola de samba Turma do Quinto
Autor: César Teixeira
Ano: 1978

Aquela flor que eu joguei
Pela janela do tempo
Resolveu desabrochar
O fruto do pensamento

E de janela em janela
Revirando carambela
Lá vem o fofão
Olelê, Olalá
Pedindo esmola
Com a boneca na mão

Por isso levo
O baralho no bolso
O cordão no pescoço
Pois agora eu sei
Que os Fuzileiros da Fuzarca
Só deixaram marcas
Por onde eu passei

E quando a Polícia
Chega eu fujo
Entro no bloco de sujo
E finjo que nada sei

Vendo tanto rei
Vestido de menino
Tanto menino vestido de rei

Cruz a nau catarineta
Veio de Portugal
E o bloco dos Vira latas fez o carnaval

Minha carroça, eu vou levar
Pra São José de Ribamar
Sei que as estrelas de papel
Já estão caindo pelo chão
Porque vai haver festa no céu
Oh meu São João

Vamos queimar a palhinha
Minha pastorinha
Dançar no Lelelê
Olha o caroço que eu trouxe
Da laranja doce
Pra você

Tem coco, crioula, quadrilha
Tem bumba-meu-boi da ilha
Nesta noite de ninguém

No piso da Casa das Minas
Bate o sino de Belém

Bumba-meu-boi
Chico Velho foi dizer
Que o filho da Catirina está pra nascer

Oh como é divido
Esse menino imperador
São Gonçalo é pequenino
Pois o tempo não passou

Em outras palavras
Hoje em dia
A gente não pode mais sonhar
Eu vou morrer de alegria

Quando a turma do Quinto passar
Quando a Turma do Quinto crescer
Até o povo da rua cantar
Salve Bibi Geraldino
Velho poeta com coração de menino
Pra terminar o meu enredo
Eu quero ver quem adivinha
Quem vem lá, quem vem lá?
É o bloco da baratinha

A baratinha iaiá
A baratinha ioiô
A baratinha bateu asas e voou

Nenhum comentário:

Postar um comentário