segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Humberto do Maracanã na caixa do Visceral Brasil

    Nome consagrado do bumba-meu-boi, Humberto do Maranhão (falecido em janeiro deste ano) está no elenco de "Visceral Brasil (As veis abertas da música)", caixa com quatro DVDs que acaba de ser lançada, reunindo 13 documentários sobre artistas populares e grupos de sete estados brasileiros. Todos os documentários foram exibidos pela TV Brasil no ano passado.
    Os documentários têm duração de 26 minutos e foram roteirizados pela cineasta carioca Márcia Paraíso com curadoria da produtora gaúcha Carla Joner. Os vídeos mereceram elogios unânimes do público e conta com a participação dos mestres da cultura popular, todos com idade superior a 70 anos dedicados à arte e preservação cultural.
    Os trabalhadores colheram o artista em seu habitat natural. Ambientados em quintais, terreiros, praças e outros locais, os vídeos captam o cotidiano destes artistas e sua relação com o universo imediato. Em alguns momentos conta com a participação de terceiros. Cada episódio exprime uma linguagem própria.
    Mestre Bule Bule, cordelista, cantador e sambador da Bahia; o cavernoso e tocador de pífano Zabé da Loca, "patrimônio vivo" da Paraíba;  Arlindo dos 8 baixo, pernambucano como o mestre Gonzaga de Exu; Dona Maria do Batuque, de São Romão, norte de Minas, tocadora de tambor; Zabiapunga, grupo afro do sul da Bahia; Mestre Vieira, Mestre Laurentino e Dona Onete, três nomes de Belém do Pará; os ìndios Suruí, de Rondônia, com participação de Marlui Miranda; Giba Giba, do tambor de sopapo; e Pedro Ortaça, nomes fortes do Rio Grande do Sul.

SERVIÇO
VISCERAL BRASIL (As veias abertas da música). De 13 artistas e grupos. Box com quatro DVDs. Projeto contemplado pela Ancine, patrocínios Vale e Chesf, Plural Fimes, distribuição Tratore, R$ 115.

Nenhum comentário:

Postar um comentário