sábado, 22 de agosto de 2015

Chico Escórcio substitui Carlos Brandão em reunião com Ministro dos Transportes

   
    O ex-deputado federal Chico Escórcio deixou o limbo e figurou entre os participantes da reunião da bancada maranhense com o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, no início desta semana. A audiência com o ministro do dia 18 de agosto foi solicitada em nome do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e do deputado federal Pedro Fernandes (PTB), segundo agenda do Ministério. Brandão não compareceu à audiência para tratar sobre paquidérmica duplicação da BR-135.
Chico Escórcio à esquerda do ministro
    Além de Pedro Fernandes, ex-secretário de Educação do governo Roseana Sarney, da bancada maranhense participaram os deputados Júnior Marreca (PEN), Victor Mendes (PV), Alberto Filho (PMDB), José Reinaldo Tavares (PSB) e Weverton Rocha (PDT). Fernandes é coordenador da bancada. A reunião foi às 16 horas, conforme agenda, com duração de exata uma hora. Na sala de imprensa do sítio do Ministério dos Transportes, o encontro da bancada do Maranhão com o ministro dosTransportes para cobrar a conclusão da obra do governo federal não rendeu sequer uma nota. Rendeu apenas foto.

    A reunião foi divulgada no Maranhão exclusivamente pelo sistema de comunicação da família Sarney. Promessas de conclusão até o final do ano da obra faraônica pela duração foram renovadas pelo ministro sob a condição de novos estudos dos investimentos previstos. A BR-135 é a única ligação por terra entre a ilha de São Luís e o território maranhense.
   Escórcio é um vassalo antigo do ex-senador José Sarney. Iniciou efetivamente a carreira política como suplente do senador Alexandre Costa, mas percorre gabinetes e mantém contatos com lobistas de plantão há décadas. É quase tão antigo em Brasília como Sarney. Por força da influência que o ex-presidente da República ainda mantém no ambiente político, Escórcio tem salário na Secretaria de Relações Institucionais da vice-presidência da República. È um dos assessores de Michel Temer (PMDB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário