quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Trabalho infantil no Maranhão é gerado pelo governo do estado através de obras mal feitas


    O governo do Maranhão colabora com a evasão escolar e dificulta a erradicação do trabalho infantil na Baixada Maranhense. Crianças do município de Turilândia deixam de frequentar a escola em troca de moedas que pedem aos motoristas nos trechos esburacados da MA-106 entre o povoado de Bacabeira, e a sede do município de Governador Nunes Freire, na BR-316.
    Próximo à Fazenda Samauara, três meninos, um deles com uma pá na mão, aparentemente com idade entre 13 e 16 anos tentam a sorte. Estão vestidos com calça e camisetas. Apenas um deles tem uma pá na mão. Os outros dois têm a missão de pedir dinheiro aos motoristas que obrigatoriamente têm que reduzir a velocidade a quase zero para transpor os buracos. Uma camiseta de educação física identifica que um deles possui matrícula na rede escolar. Com certeza também tem inscrição no programa Bolsa Família.Ele traz no cós da calça um facão com estatus de arma branca.
    Mais em frente, na direção da cidade de Pinheiro - terra natal do senador José Sarney (PMDB-AP) -,  dois meninos, um deles chamado Daniel de apenas nove anos, ignorando a temperatura elevada, jogam terra sobre os buracos que tendem a se tornar cratera logo, logo. Eles dizem que moram no Povoado Capinzal, lugar onde existe apenas uma escola pertecente  à rede municipal de ensino.
    Ambos ignoram o mito grego de Sísifo, condenado a carregar eternamente um pedra até o lugar mais alto da terra dos mortos. No Maranhão, eles estão na vantagem sobre o morte. Fora das estatísticas dos natimortos e da mortalidade infantil, Daniel diz que vai à aula à tarde às 13h25 PM de uma quarta-feira após as eleições municipais. Ironicamente, no leito da rodovia estadual MA-106 há um conselho de erradicação do trabalho infantil a poucos metros de onde os meninos exercem a atividade insólita em busca de algum ganho.
    Nas eleições deste ano os eleitores de Turilândia elegeram Alberto Magno (PTdoB), aliado da governadora Roseana Sarney. Fez o discurso de toda criança na escola. Magno chega à prefeitura apenas com o ensino médio completo, uma hilux ano 2006, um caminhão ano 2001, 40 cabeças de gado e uma casa de alvenaria avaliada em R$ 60 mil. Na função de prefeito dificilmente voltará aos bancos das salas de aula, mas não será surpresa se enquanto isso prosperar como empresário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário